U.F. de Maximinos, Sé e Cividade

Caras e caros amigos,

O meu nome é António Fernandes, tenho 53 anos e resido há mais de vinte em Maximinos. Sou casado e pai de duas filhas. Licenciei-me em Engenharia Agrícola e, profissionalmente, desempenho funções na Direção Regional de Agricultura.

Após cuidada reflexão, decidi candidatar a Presidente da Junta da UF de Maximinos, Sé e Cividade. Não o faço por qualquer oportunismo político, capricho pessoal ou à procura de qualquer tipo de notoriedade, mas porque desde cedo me habituei a participar ativamente na vida de diversas associações e coletividades, tais como a Associação de Solidariedade Social, Cultural e Recreativa-MAXISECI, da qual sou atual presidente da direção, e o Clube Desportivo Maximinense, onde sou, também, membro da direção.

Entendo que a experiência adquirida, tanto como membro da Assembleia Freguesia da Sé, quer enquanto Secretário da atual UF, me permitiu conhecer muitas pessoas, as suas necessidades, os seus problemas, bem como todo o território desta União. Todos estes fatores me levaram a dizer “presente”, apresentando-me às eleições de 1 de Outubro, com vontade de, por esta via, servir a minha comunidade e os meus concidadãos.

Procurarei, em todos os momentos, ser um presidente atuante, conhecedor dos problemas das pessoas e empenhado em encontrar soluções para os mesmos; tudo isto, num registo responsável e sóbrio, longe de agendas eleitorais e de estratégias de autopromoção; procurando concentrar-me naquilo que de mais nobre tem o serviço público: ser um presidente próximo das dificuldades daqueles que não tem voz.

Acredito em equipas, pelo que estou muito satisfeito pelo coletivo de pessoas que reuni à minha volta. Uma equipa forte, capaz e motivada em entregar o melhor de si a este território e a todas as pessoas que o escolheram para viver.

Maximinos, Sé e Cividade precisam de Novas Ideias para o futuro, para o associativismo, para o desporto, para a educação. Maximinos, Sé e Cividade necessitam de uma Nova Ambição ao nível das propostas e projetos, precisam de transparência no agir, de independência no intervir e de coragem e visão na forma de pensar, planear e executar o nosso futuro coletivo.

Conto com todos para afirmar esse caminho. Contem todos comigo para o concretizar.

Um abraço amigo,

António Fernandes